Pouco dinheiro e muita criatividade

A vizinha grita do portão: “Lolinha, você está aí?” A decoradora Eleonora Ribeiro dos Santos se apressa a saudar a amiga, moradora do imóvel ao lado. Esse clima fraternal, que remete às cidades pequenas, perdura até hoje na rua arborizada de um agitado bairro de São Paulo, no qual a decoradora e a família vivem num sobrado dos anos 1940 há 30 anos. Primeiro, quando já estava casada e com dois filhos pequenos, morou em um imóvel alugado. “Não tínhamos dinheiro, mas minha mãe vendeu um terreno e me deu esta casa de 80 m².” Também com a ajuda da mãe, uma costureira de mãos de fada, Eleonora conseguiu dar bossa aos ambientes. “Ela costurou as cortinas, a capa dos estofados e a colcha do quarto. Tudo simples, pois o dinheiro era curto, mas com muito capricho”, diz.

Fonte: Casa.com.br

Quero tudo, e quero agora.👑⚡ Fazendo amor, política e festa em @amoravc_ 💜 Transformando código em poesia na @outsiders.black 👩🏾‍💻

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TOPO

amora é uma multiplataforma online por e para sapatão: as les, as bi, as cis e trans/nb. Um lugar seguro e saudável pra todes nós.