Lia Sophia lança clipe com Zélia Duncan; veja ‘Não Vou Pedir Licença’

A canção foi escrita para o documentário “Assim como o Ar, Sempre nos Levantaremos”, que dá visibilidade a mulheres lésbicas, bissexuais, trans e travestis

Nesta sexta (10), Lia Sophia lança o clipe de “Não Vou Pedir Licença”, com participação especial de Zélia Duncan (veja abaixo). A música está disponível em todas as plataformas e foi composta pela artista para o documentário “Assim como o Ar, Sempre nos Levantaremos”, que dá visibilidade a mulheres lésbicas, bissexuais, trans e travestis.

Para o documentário, a diretora pernambucana Clara Angélica entrevistou mais de 20 mulheres, mostrando seus medos, sua resistência e a luta dessa comunidade por seus direitos no Brasil, país que mais mata LGBTQIA+ no mundo. “A Clara Angélica me convidou para compor uma música pro documentário e me passou um pequeno briefing. Eu compus duas músicas e a escolhida para fazer parte da trilha do filme foi Não Vou Pedir Licença”, relembra Lia Sophia.

O objetivo de Lia é trazer ainda mais a temática LGBTQIA+ para o seu trabalho. “Silenciar é ser conivente. É muito representativo e importante que unamos as nossas vozes enquanto artistas, mulheres e lésbicas, para reverberar milhares de outras vozes de mulheres lésbicas, bissexuais, trans e travestis, para dizermos que não vamos pedir licença para existir”.

De acordo com Lia, o convite para Zélia Duncan veio de forma orgânica por se tratar de um tema que as une. “Essa colaboração foi sonhada e desejada bem antes da composição dessa música. A Zélia Duncan é uma artista incrível e uma referência musical pra mim. Eu sou fã e já cantei muitas canções dela ao longo da minha trajetória. Com sua alma ativista e a potência da sua voz, Zélia extrapola os palcos e fala por pessoas que têm sido silenciadas. Ela tem lugar de fala e de canto para interpretar essa canção e o fez lindamente, com o coração na voz”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TOPO

amora é uma multiplataforma online por e para sapatão: as les, as bi, as cis e trans/nb. Um lugar seguro e saudável pra todes nós.