Argentina sofre tentativa de estupro coletivo por ser lésbica, mas é ela quem vai presa

Infelizmente, no Brasil e no mundo, milhares de mulheres sofrem abusos todos os dias. Na Argentina, um caso ganhou tanto destaque que acabou sendo alvo também da mídia internacional.

Eva Analía Dejesús acabou sofrendo um abuso coletivo, ameaçada de estupro coletivo, enquanto estava andando pela rua. Os homens que a abusaram chamaram a mulher de lésbica e disseram que praticariam o estupro para ela passasse a gostar de rapazes. Para se defender, Eva utilizou uma faca e acabou atingindo um dos homens, que acabou falecendo.

Tudo aconteceu no bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires. Eva tem o apelido de Higui, já que usa um cabelo bem parecido com o do goleiro colombiano.

O próprio jogador saiu em defesa da mulher e o caso ficou conhecido em toda a Argentina.

No entanto, nem ele conseguiu impedir o fato de que a mulher fosse presa. A confusão no caso fez com que ele se tornasse ainda mais famoso.

O caso da argentina que matou para não ser estuprada – e foi presa por homicídio

Organizações que defendem os direitos das mulheres também estão a par da situação. Para eles, a presa é inocente e não fez nada demais, a não ser agir em legítima defesa.

No entanto, a Promotoria explica o porquê de a mulher ser presa. Depoimentos e uma autópsia foram feitos no homem morto, mas até agora nada foi comprovado. A morte dele é uma verdadeira incógnita.

Enquanto investigam o caso, protestos acontecem na região de San Martín, onde haverá uma nova audiência sobre o caso.

A irmã da presa, Azucena, revelou que todos vão pressionar até que liberem a prisioneira.

A noite do estupro: a rotina de drama começava

Aos 43 anos, Higui sempre teve uma vida dedicada ao gosto do futebol. Ela trabalha decorando jardins e lojas. Em uma família de nove filhos, a jovem teve apenas um irmão homem, e desenvolveu características consideradas mais” masculinas”.

Torcedora fanática do Boca Juniors, ela deixou a casa de sua família aos 13 anos. A fuga aconteceu porque abusos eram realizados pelo seu padrasto. Anos depois, ela se veria novamente com o abuso em sua vida.

A noite da tentativa de estupro coletivo, que também acabaria com sua prisão, ocorreu no dia 16 de outubro. Ela cruzou com um grupo de rapazes que sempre tinha o costume de mexer com a argentina.

Foi nesse momento que eles se aproximaram e disseram que ela sentiria mais vontade de ficar com homens. Eles tentaram a estuprar, mas ela se defendeu e atingiu um homem com uma facada. Em seguida, ele acabou morrendo, mas ela não sabia o que viria a seguir, a sua prisão.

Fonte: http://br.blastingnews.com

Quero tudo, e quero agora.👑⚡ Fazendo amor, política e festa em @amoravc_ 💜 Transformando código em poesia na @outsiders.black 👩🏾‍💻

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TOPO

amora é uma multiplataforma online por e para sapatão: as les, as bi, as cis e trans/nb. Um lugar seguro e saudável pra todes nós.